Mídia Mobile: informações relevantes para a sua estratégia

Mercado programáticooutubro 30, 20184 Minutes
Investimento quase duplicou globalmente, com crescimento de 92% na comparação de 2013 com 2012, segundo levantamento do IAB (Interactive Advertising Bureau) Mobile Marketing, do IAB Europe e da IHS Tecnology. O estudo revela que as cifras chegaram a US$ 19,3 bilhões, frente a US$ 10,1 bilhões em 2012.
A América Latina foi a região com a maior evolução (215%) para US$ 144 milhões. Os latinos representam somente 0,7% do mercado global, dominado pela América do Norte (41,9% – US$ 8,1 bilhões) e pela Ásia-Pacífico (38,9% – US$ 7,5 bilhões). A Europa tem 17,3% (US$ 3,3 bilhões), e o Oriente Médio e África, 1,2% (US$ 225 milhões).
A mídia que apresentou maior crescimento foi o display, com 123,4% de alta, diante da search (92,1%) e mensagens instantâneas (19,4%). As buscas ainda representam a maior fatia do bolo publicitário, com 48,9% do total investido, estimado em US$ 9,5 bilhões. Display tem 41,5% (US$ 8 bilhões), já a messaging tem 9,6% restantes, com US$ 1,9 bilhão.
O Brasil figura no primeiro lugar entre a tabela de maior crescimento de gastos em publicidade mobile, com taxa de 120% em 2014 – em segundo lugar está a Alemanha, com 95%, em terceiro, o Reino Unido, com 90% (Estados Unidos está em oitavo, com 84,6%).
Estima-se que em 2013 serão mais de 1,5 bilhões de usuários dessa tecnologia desfrutando do uso de dispositivos móveis ao redor do mundo.
Apenas 23% dos usuários são favoráveis à publicidade mobile entre tablets e smartphones. Desses, os usuários de tablets apresentam maior engajamento que os de smartphones. Em ambos os casos, entretanto, os aspectos mais valorizados num site para esses dispositivos são o carregamento rápido (64% dos respondentes), a boa visibilidade (53%) e a facilidade de busca (47%).
Quando o assunto é resultado, a publicidade em mídia mobile apresenta métricas bem mais expressivas que nos meios on-line tradicionais. Entre aqueles que veem um anúncio em dispositivos móveis, 14% visitam o site da marca e 10% pesquisam sobre ela. E mais: quando questionados sobre suas reações a esses anúncios, 9% dos respondentes clicaram ou interagiram com o anúncio, 8% procuraram pela marca em lojas, 7% baixaram o aplicativo (quando anunciado) e 5% recomendaram a marca a alguém.

(Com informações do PropMark. / Adaptação: Equipe FTPI | Inteligência em Regionalização | Mídia Regional.)